Todecara.Com
Marcelo Nova
Clique para Ampliar a Imagem
Serviço
Marcelo Nova & Drake Nova
Quando: sexta-feira (13/01/2017), às 21h
Onde: Canteiro Central – SCS quadra 3 – Ed. Paranoá
Brasília-DF
Quanto: Até 22h30, R$ 20. Após, R$ 30.
Classificação Indicativa: 18 anos
Evento
Marcelo Nova estreia novo show em Brasília
Roqueiro apresenta, ao lado de seu filho Drake, músicas de todas as fases de sua carreira. Festa no Canteiro Central, no dia 13 de janeiro, ainda tem SOS Toca Raul e DJ Zed
O emblemático vocalista e fundador do Camisa de Vênus, Marcelo Nova, levou 41 anos para concretizar no palco uma dobradinha que tem rock no sangue. Junto com o filho Drake, cada qual a bordo de sua guitarra, o baiano estreia em Brasília na próxima sexta-feira (13) uma série de shows onde passeia desenvolto pelas várias fases da sua carreira: dos clássicos do Camisa de Vênus, às parcerias com Raul Seixas e às baladas densas e autobiográficas.
Clique na foto para acessá-la em alta resolução
A festa será no Canteiro Central, a mais nova casa noturna de Brasília, a partir das 21h. Além do show do roqueiro, ainda tem a apresentação da banda brasiliense SOS Toca Raul, que homenageia o pai do rock brasileiro, e do DJ Zed. A entrada custa R$ 20 até 22h30 e R$ 30 após este horário. A realização é uma parceria das produtoras Homem da Marreta e Projeto Stone.
Marcelo Nova volta a Brasília depois de apresentar, em fevereiro do ano passado, o show de 35 anos de carreira do Camisa de Vênus. Ao lado de Karl Hummel e Gustavo Mullem nas guitarras, Robério Santana no contrabaixo e Aldo Machado na bateria, a banda lançou cinco álbuns - Camisa De Vênus, Batalhões de Estranhos, Viva, Correndo O Risco e Duplo Sentido, ganhando discos de ouro e de platina.
Depois do fim do grupo, em 1987, o baiano iniciou carreira solo e, em 1989, lançou o disco mais emblemático de sua carreira, A Panela do Diabo, ao lado de Raul Seixas. Segundo jornalista e crítico musical André Forastieri, “Marcelo Nova é por definição o único rocker brasileiro. O único, não tem outro!”
Pedro Só, também jornalista e crítico musical, escreveu no encarte do “Tijolo Na Vidraça”, de 2001, coletânea tripla da carreira de Marcelo Nova: “Se existe Rock and Roll no Brasil hoje, a culpa é dele. E não estamos falando de roquinho ou de entidades amorfas como BRock, BR-pop, siglas estranhas lembrando estradas que levam ao lugar-comum. Marcelo Nova surgiu em 1980, à frente do grupo Camisa de Vênus, para expor a falsidade da Bahia de cartão-postal, do misticismo industrializado em fitinhas do Senhor do Bonfim, do sorriso turístico em bocas famintas, do batuque lobotomizado pelas esmolas de ACM…”